BCLUBE 300x250
Quem já procurou vinhos italianos com certeza já viu ou ouviu falar do Vinho Chianti. Os mais desligados com nomes devem lembrar do símbolo desse vinho, pois sua marca é o famoso galo negro.

Vinho Chianti SimboloE aí, lembrou? Se lembrou, ótimo! Se não, aproveite para conhecer mais essa delícia do mundo do vinho!

 

Se quiser ir direto para as nossas sugestões de Vinho Chianti, clique aqui.

Inicialmente é importante esclarecer o que muitos já se perguntaram: Chianti não é nome de uma uva, mas sim de uma região da Itália, localizada entre as cidades de Florença e Siena. O vinho é conhecido pelo nome da região, pois, assim como ocorre com os vinhos da região de Bordeaux, na França, os vinhos de Chianti tem um corte (mistura de uvas) tradicional – maior parte de sangiovese, alma desse vinho – e um pouco de outras uvas locais ou internacionais, dependendo das regras de cada sub-região.

Recentemente os produtores se uniram para criar uma padronização do corte. Entretanto, apesar das novas regras, a diversidade de vinho Chianti ainda é enorme. Existem muitos tipos, desde os mais jovens e leves até os mais velhos, encorpados e complexos. No passado, a sua grande produção afetou um pouco sua qualidade, mas grandes produtores conseguiram resgatar a qualidade desse vinho e implementaram regras para a sua produção.

A melhora começou em 1984, quando foi criada a DOCG Chianti e a DOCG Chianti Clássico, fazendo com que os produtores de vinhos dessa região passassem a seguir as regras pré-estabelecidas acerca do plantio, da colheita, da produção, do tempo de envelhecimento e muito mais, o que diminuiu, significativamente, a discrepância entre a qualidade dos vinhos. De lá para cá os vinhos passaram a ter um bom padrão de qualidade e voltaram a ser apreciados e adorados mundo afora!

Se quiser saber um pouco mais a respeito da história desse vinho e dessa região, com os seus altos e baixos, leia o artigo Todos os Chianti – A história e os desafios dos mais tradicionais vinhos da Itália em todos os seus perfis e estilos, da Revista Adega.

O Vinho Chianti

Vinho Chianti paisagem

A uva sangiovese é a alma de todos os Chianti. Essa uva é extremamente sensível a fatores externos, especialmente ao solo e ao clima. E por ser muito frágil, os aromas dos vinhos variam muito de acordo com o solo onde a uva é cultivada, o que confere singularidade a cada um deles.

Exatamente por isso que, para saber um pouco mais a respeito de determinado vinho Chianti, é preciso analisar o que vem escrito no rótulo depois da palavra ‘Chianti’, pois é o que indica a procedência geográfica da uva.

Diversas são as sub-regiões de Chianti, cada uma com características específicas e algumas regras particulares. Dentre elas, destacam-se: Chianti Colli Pisane, Chianti Colli Fiorentini, Chianti Colli Senesi, Chianti Colli Aretini, Chianti Montespertoli, Chianti Rufina, Chianti Montalbano. Para saber mais sobre as características de cada uma dessas sub-regiões, leia o artigo Chianti DOCG – Vinho Típico da Toscana, de Adriana Grasso.

Além da sub-região, o vinho Chianti tem, ainda, classificações relativas à forma de produção, como o “chianti” (vinho básico), o “riserva” e o “gran selezione”. O primeiro é o mais simples, mais leve e frutado; o “riserva” é mais encorpado, com aromas um pouco mais complexos, pois a legislação exige que envelheça por um período mínimo de 24 meses em madeira e 3 meses em garrafa; por fim, “o gran selezione”, classificação criada em 2013, é um vinho de qualidade superior ao “riserva”, com período de envelhecimento ainda maior – 30 meses, e que precisa ser feito com uvas provenientes de vinhedos próprios. De acordo com as regras locais, o período de envelhecimento começa a ser contado a partir de janeiro do ano seguinte ao da vindima (época de colheita da uva).

 

Na sequencia, tratamos um pouco a respeito das duas grandes DOCGs de Chianti e, ao final, daremos algumas sugestões desse delicioso vinho.

 

As DOCGs de Chianti

DOCG Chianti Clássico

Vinho Chianti vinhedo

A Denominazione di Origine Controllata e Garantita (DOCG) de Chianti Clássico é uma área específica dentro da grande região de Chianti, localizada entre as cidades de Florença e Siena e reconhecida por produzir vinhos de melhor qualidade.

A legislação exige que o vinho DOCG Chianti Clássico seja composto por, no mínimo, 80% de uva sangiovese. Os outros 20% podem ser de uvas da região, como a canaiolo e a colorino ou internacionais, como a cabernet sauvignon ou a merlot, desde que recomendadas e/ou autorizadas pela área de produção.

Vale ressaltar, ainda, que desde 2006 foi proibido o uso de cepas brancas no blend dos vinhos produzidos nessa DOCG – prática que, apesar de assustar alguns, era comum nessa região.

O Chianti Clássico deve ter graduação alcoólica de 12%. Quando jovem, é leve e equilibrado e tem cor rubi. Mas como a sangiovese é uma uva que tem capacidade para envelhecimento de médio a longo prazo, os vinhos que são envelhecidos se tornam mais encorpados, com cor vermelho escura e vão bem com pratos mais elaborados. Os envelhecidos são normalmente os Chianti Riserva (12,5% de graduação alcoólica) ou os Gran Selezione (13% de graduação alcoólica), feitos com uvas selecionadas e envelhecidos em barris de madeira e na garrafa.

Gran Selezione

  • Uvas devem ser provenientes do próprio vinhedo
  • Envelhecimento mínimo de 30 meses, incluindo 3 meses de envelhecimento na garrafa
  • Regras técnicas e sensoriais bastante rígidas

Riserva

  • Envelhecimento mínimo de 24 meses, incluindo 3 meses de envelhecimento na garrafa
  • Regras técnicas e sensoriais rígidas

 

BCLUBE 468x60

DOCG Chianti

A DOCG de Chianti engloba as demais áreas da região que não estão abrangidas pelo DOCG Chianti Clássico.

Os vinhos produzidos nessa DOCG devem ter em sua composição, no mínimo, 70% de uva sangiovese. O blend com uvas brancas não é proibido, mas foi restringido – o total de uva branca não pode ser superior a 10%. Além disso, a cabernet franc e a cabernet sauvignon não podem superar 15% – seja em conjunto ou separadamente. A graduação alcoólica é menor do que na DOCG Chainti Clássico, sendo a mínima de 10,5%.

 

Sugestões de Vinho Chianti

VinhoProdutorRegiãoNotaPreço (R$)Onde comprar
Chianti Colli Senesi 2009Castello di FarnetellaColli SenesiRP 89
VV 3.4
197Mistral
Carpineto Chianti Classico Riserva DOCG 2010CarpinetoChianti ClassicoVV 3.7125Wine
Barone Ricasoli Chianti Del Barone DOCG 2013Barone RicasoliChianti DOCGVV 3.4118Wine Brasil
Gabbiano Chianti Classico DOCG 2009Castello di GabbianoChianti ClassicoVV 3.4184Wine Brasil
Chianti Colli Senesi 2013FontaleoniChiantiNão localizamos117Mistral
Chianti Gentilesco DOCG 2014BonacchiChianti DOCGVV 3.580Mistral
Brancaia Chianti Clássico Riserva DOCG 2011La BrancaiaChianti Classico DOCGVV 3.9219Grand Cru
San Pancrazio Villa Masti Chianti DOCG 2014San PancrazioChianti DOCGNão localizamos57Grand Cru
Chianti Superiore DOCG 2011PoggiotondoChianti DOCGWS 90173World Wine
Chianti Querceto DOCG 2014Castello di QuercetoChianti DOCGVV 3.575Bacco's
Chianti Rufina 2012Renzo Masi - Fattoria di BascianoChiantiVV 3.7115Bacco's

Informações atualizadas em julho de 2016. 

 

Tem alguma outra sugestão de Vinho Chianti? Gostou de nossas sugestões e dicas? Conte-nos nos comentários abaixo!

 


Gostou de nosso conteúdo?

Assine Já!

BCLUBE 468x60